quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

"Quero ser teu amigo" versão blog

Quando era pequenita era coisa fácil e habitual perguntar aos potenciais friends to be se queriam ser meus amigos. Assim, sem subtilezas, sem manias. Talvez envergonhadita e de olhos no chão, mas se tinha alguma coisa a dizer ou a perguntar, dizia-a ou perguntava-a. Tudo então era mais simples.
Trazem os anos, com as rugas, os cabelos brancos (alguém falou em cabelos brancos, o que é isso?!), e o cansaço, algum pudor nesta arte de fazer amigos, e então já não perguntamos e limitamo-nos a esperar. Um frase aqui, um sorriso cúmplice ali, uma gargalhada em sintonia, e aos poucos vamos pegando em cada ponta daquele novelo fofinho que é a amizade (deixo a cor do novelo metafórico para V. Exas., não quero aqui ferir susceptibilidades clubísticas ou daltónicas) e tricotando qualquer coisa bonita.
Mas eis que as social networks entram no esquema e é preciso voltar a pedir aos amigos que nos amiguem (ainda há minutos enviei um pedido de amizade, vamos lá ver se corre bem).
Quando a pessoa aceita o friend request, lá vamos nós coscuvilhar no mural, ver o álgum de fotografias (se a pessoa é cá do peito comentamos como os anos não passaram por ela perfeitamente convictos do facto, se nem por isso é certo e sabido que vem ao pensamento "eu estou tão melhor"), e assim inteiramo-nos do por onde anda e a que tem dedicado o seu tempo (às vezes até nos inteiramos demais, há malta que eu juro não percebo onde vai buscar o tempo!).
Na blogosfera os pedidos de amizade não são tão claros, e fora os primeiros emails que o blogger envia a comunicar a abertura do coiso, há pouco mais a fazer (vamos por favor ignorar aqueles bloggers que deixam comentários em outros blogs, normalmente os mais conhecidos, e nos quais escrevem, depois de duas ou três patacoadas, qualquer coisa como "olha também tenho um blog muito giro, passa por lá, é o www.tenhoumbloggiro.blogspot.eu quero lá saber, pá, ou tens um alter-ego castiço e um comentário porreiro ou bye-bye).
Na blogosfera, então, penso eu de que, não há tanto os pedidos como há as ofertas. E, na minha, o mimo começa com a seguinte frase "adicionei-te ao reader".
Hoje adicionei mais dois.

2 comentários:

  1. E depois dizes que eu sou um doce!!! Tu é que és!!!

    (E não é só por seres bolacha!)

    ResponderEliminar