terça-feira, 31 de maio de 2011

Ser ou não ser emigrante votante

Se eu fosse uma emigrante decente já me teria mexido da perna há mais tempo e tratado de aprender como é que se vota nas eleições quando se está fora do país.
Isto pressupõe, naturalmente, que eu sou uma emigrante -- ler immigrant aqui nos EUA, porque eu emigro para os EUA, onde sou imigrante, conceito com o qual me debato todos os dias.
Ah... "To be or not to be, that is the question", excerto do discurso do Hamlet que o próprio Shakespeare reescreveu, insatisfeito com a sua primeira versão, e que manteve até à versão que conhecemos hoje. Ao contrário de Hamlet, porém, eu hoje não me debato tanto com a existência da vida para além da morte (what!?) e sim com a consequência de, por omissão da minha parte, não votar nas eleições que se avizinham. Desde já aviso que, infelizmente, pertenço àquela categoria de pessoas que acha que "o meu voto não conta" ainda que conheça argumentos que fazem deste argumento uma falácia.
Daí que, movida por um sentimento de masoquismo, porque há que acicatar a minha frustração, fui aprender o quão fácil teria sido tratar de me tornar uma eleitora no estrangeiro para efectivamente poder votar nas eleições de Domingo.
Isto começa logo mal. Na página da Direcção Geral da Administração Interna só vejo, assim rapidamente, a opção para o "Voto antecipado no estrangeiro". Malta, eu sou portuguesa e não quero votar antecipadamente, tá? Eu querer, querer, quero votar mais ou menos em cima da hora, ou acham que me americanizei assim tanto? (referência para os meus posts brilhantes sobre Sabes que te americanizaste um little bit quando... -- ver na etiqueta Americanices).
Entetanto fiquei a saber que ainda tenho 107 dias para entregar projectos candidatos ao Prémio Europeu de Prevenção da Criminalidade 2011. Se estiverem interessados, clickem aqui.

DGAI

Hum... Pesquisa mais... Vai ao espaço Cidadania... Boa, tem aqui um um Portal do Eleitor. Clicka! Tem aquela coisa do Voto Antecipado. Vou antes pesquisar por "emigrante".

Portal do eleitor

Zero resultados? Estúpida, está-se mesmo a ver que tens de ceder e ir ao voto antecipado. Pronto, eu vou!
Ora... então podem votar antecipadamene "os cidadãos que, POR MOTIVOS PROFISSIONAIS, não possam deslocar-se, à sua assembleia de voto, no dia das eleições" (o bold e as maiúsculas são do site). Não é o meu caso. Continuo a ler. Esta modalidade de votação também abrange os ESTUDANTES, os ELEITORES DESLOCADOS NO ESTRANGEIRO mas que, "por imperativo decorrente das suas funções profissionais,  está impedido de se deslocar à Assembleia de Voto no dia das eleições", ELEITORES DOENTES INTERNADOS,  e os ELEITORES PRESOS E NÃO PRIVADOS DE DIREITOS POLÍTICOS.
Ora vamos cá ver nos entendemos. Amigos da DGAI, eu não sou uma emigranta assim p'ro normal, eu estou aqui por amor(e), não há patrão que me passe um papel a explicar-me que não posso ir à assembleia de voto no dia da eleição. Ainda que se quiserem o maridaço pode assinar um cartão cheio de corações onde professa todo o seu amor por mim.
Podes votar por correspondência, dizeis-me já, afoitos, mal deixam uma rapariga teclar em paz. Acho que sim, mas para isso...

http://www.dgai.mai.gov.pt/cms/files/conteudos/Folheto_voto_ant_Estrangeiros%281%29.pdf

... teria de ir a São Francisco, que fica longe.
Já estou cansada. Vou ao ginásio com a minha filha.
Qual boa portuguesa, adio para mais tarde o pensar sobre as tais consequências de não votar nas eleições. De preferência de hoje a uma semana. Que dá tempo.

2 comentários:

  1. Adoro, adoro as tuas divagações.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Cris,
    E eu adoro, adoro, adoro que as venhas ler!
    Um sorriso!

    ResponderEliminar